Programação “Tô no Pelô” tem início no Centro Histórico

O Governo da Bahia, através da Secretaria de Cultura do Estado, desenvolve com o Tô no Pelô um novo modelo de programação cultural para o Pelourinho. Pela primeira vez, o Estado fomenta, através de seleção pública, a atuação de artistas e produtores independentes locais em largos, ruas e praças do Centro Histórico de Salvador (CHS).

Veja a programação completa no site do IPAC.

Resultado de edital realizado em 2008 pelo Fundo de Cultura da Bahia (FCBA), em parceria com o Instituto do Patrimônio Artístico Cultural (IPAC) e a Fundação Cultural do Estado (Funceb), a programação Tô no Pelô contempla 22 projetos artístico-culturais, com valores entre R$15 mil a R$300 mil, que somam mais de 130 eventos subdivididos nas categorias ‘Ocupação Artística de Largos’, ‘Intervenções Artístico-Urbanas’ e projetos de ‘Cultura e Cidadania’. A programação se estende até março de 2010.

Para o secretário de cultura do Estado, Márcio Meirelles, a nova programação cultural do Pelô marca a transição de um modelo em que o Estado atuava apenas como produtor, respondendo quase exclusivamente pela programação artístico-cultural do Pelourinho, para outro em que o Estado passa a fomentar a produção de artistas e produtores independentes na região. “É a primeira vez que se democratiza a utilização de áreas do Pelourinho a partir da abertura de uma concorrência pública. Com isso, queremos atrair projetos culturais que sejam compatíveis com a preservação do patrimônio histórico, que estimulem a diversificação do público que freqüenta o Pelourinho e, ao mesmo tempo, contribuir para desenvolvimento do mercado de produção cultural de Salvador”, afirma Meirelles, defendendo a necessidade de aliar desenvolvimento econômico e cultural. “O Pelourinho é um espaço que deve gerar trabalho e renda para Salvador”, finaliza.

Ainda em 2009, será aberto novo edital para seleção de projetos que ocuparão praças e largos do Pelourinho a partir de março/abril de 2010. O Tô no Pelô integra o Plano de Reabilitação Sustentável do Centro Antigo de Salvador, que está sendo elaborado com a participação da sociedade, através de convênio firmado entre o governo do Estado, o Ministério das Cidades e a UNESCO, sob coordenação do Escritório de Referência do Centro Antigo de Salvador.

Todas as tribos nas ladeiras do Pelô

Cento e trinta atrações locais e nacionais realizam apresentações gratuitas ou a preços acessíveis até o verão de 2010. São 22 projetos de música, teatro, dança, artes visuais, circo, humor e performance, que terão investimento de R$2,4 mi através do Fundo de Cultura

O Centro Histórico de Salvador será movimentado por artistas de várias linguagens, como a música, o teatro, a dança e o circo, e diversos gêneros, como o rock e o samba, a partir da próxima semana. A programação Tô no Pelô promete atrair pessoas de vários estilos com atrações locais e nacionais, que vão se apresentar em largos, ruas e praças, totalizando 22 projetos selecionados através de edital inédito do Fundo de Cultura da Bahia, em parceria com a Fundação Cultural do Estado (FUNCEB) e o Instituto do Patrimônio Artístico-Cultural da Bahia (IPAC), no valor de R$2,4 milhões. São 130 shows, espetáculos, projetos de intervenção artístico-urbana e ações de cidadania, educação e inclusão social.

O guitarrista Armandinho atuará como anfitrião de um projeto que promete render encontros memoráveis. “Os shows são para arrastar a massa e estão divididos por temperada: Pop Choro, Sinfonia Afro, 60 Anos do Trio Elétrico e MPB”, avisa o músico. Bandas da cena alternativa realizarão o Festival Bigbands. Artistas como Arrigo Barnabé e Jards Macalé estão no projeto Pelô de Vanguarda. Os humoristas Luís Miranda e Zéu Brito participam do Festival de Humor e Peformance. O artista visual Marcondes Dourado desenvolve projeto de intervenção urbana Pelourinho: Encruzilhada do Mundo.

Estes e outros projetos, com valores que variam de R$15 mil a R$300 mil, subdivididos nas categorias ‘Ocupação Artística de Largos’, ‘Intervenções Artístico-Urbanas’ e projetos de ‘Cultura e Cidadania’, encorpam a programação Tô no Pelô, que começou a ser apresentada ao público no dia 16 de setembro, quarta-feira. As atrações são gratuitas ou com ingressos a preços bem acessíveis. Na abertura do Tô no Pelô, às 9h, as crianças, especialmente, poderão conferir de graça o espetáculo O Mundo Encantado da Leitura, que inclui passeio-aula no Centro Histórico e terá sessões matutinas e vespertinas até outubro, no Largo Pedro Archanjo.

Os espaços do Pelourinho, incluindo os Largos Quincas Berro D’Água e Tereza Batista, vão receber 16 projetos, que contemplam as principais linguagens artísticas, com temporadas de curta duração, e quatro de longa duração com 20 apresentações.

Para a diretora do Programa Pelourinho Cultural, Ivanna Soutto, o edital Tô no Pelô atende à grande demanda de artistas por esses locais de apresentação. “O resultado alcançado, o número de projetos aprovados e o valor do investimento já nos estimula a elaborar a versão de 2010”, comemora Ivanna. Ela espera que a iniciativa aponte novos talentos.

Um dos inscritos e aprovados no edital Tô no Pelô, o cantor Neto Bala, comenta que a democratização dos editais é vista com muito bons olhos pela classe artística. “Esse modelo assegura possibilidade de mostrar arte para o maior número de pessoas, tendo como tônica a responsabilidade de estar gerindo um bem público e prestando contas ao final”, avalia. Neto vai encabeçar o projeto Profissão Samba a partir de outubro, recebendo convidados como Roberto Mendes, Proibido Proibir, Walmir Lima, Lazzo, Tatau, Muzenza e Ilê Ayê.

Programação – Em setembro, duas gerações de artistas se encontram no projeto Pelô de Vanguarda, uma homenagem ao movimento musical que aconteceu em São Paulo, em meados das décadas de 70 e 80. Os shows acontecem nos dias 25 e 26, no Largo Tereza Batista, com acesso gratuito para o público. Veteranos do movimento, como Arrigo Barnabé, Jards Macalé e Lanny Gordin contracenam com novos nomes, como Spirolise (SP) e os baianos Vandex e Nancyta e os Nunca Vistos. A cantora Mariella Santiago, o percussionista Gil Santiago e o guitarrista Luiz Chagas fazem participação especial nos dois dias.

Em outubro, nos dias 28 e 31, acontecerá o Tributo a Batatinha, com ambientação de um boteco em pleno Largo Tereza Batista. Ali, o Grupo Botequim homenageia este que é um dos mestres do samba da Bahia, compondo um repertório com canções como A Cor, Direito de Sambar, Diplomacia e Ministro do Samba, além das marchinhas de carnaval Bebe e Todo Mundo Vai ao Circo. O ator Gil Novaes vive um garçom que ajuda a resgatar a trajetória do artista. Ingressos serão distribuídos uma hora antes dos shows.

“Participar de uma iniciativa como o edital Tô no Pelô significa para o grupo Botequim contribuir para a revitalização de um espaço de alegria, história, música, religião e negritude. A oportunidade de divulgação do nosso trabalho, que tem como ponto de partida o samba tradicional brasileiro, é deveras gratificante. É motivador ver uma ação que trabalhe efetivamente em prol da cultura e nós, do Grupo Botequim, nos sentimos honrados pela responsabilidade artística a nós confiada.” declara Daniela Amoroso, integrante do grupo.

Para Nancy Viegas, integrante da banda Nancyta e os Nunca Vistos, a programação “é uma iniciativa muito legal, onde cada um vem com o seu projeto, participa de um concurso e, aquele que agrega mais valor ao Pelourinho, pode se apresentar. É uma maneira de democratizar o espaço. Sem falar que muitos shows são de graça e o público adora, até eu, como público, adoro!”. Ela vai participar do Festival Bigbands, que está programado para outubro e vai dar continuidade ao trabalho de inserção da cena cultural independente na Bahia dentro da programação do Pelourinho Cultural. O Festival Bigbands é realizado pela segunda vez em Salvador. Nesta edição, participam do projeto as bandas MQN (GO), Julia Says (PE), Macaco Bong (MT), entre muitos outros.

Com a programação do Tô no Pelô e os projetos de ordem espontânea, a programação do Pelourinho Cultural para os largos está fechada até fevereiro de 2010. No total, a Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através do Programa Pelourinho Cultural, vai realizar cerca de 420 eventos, além do carnaval, neste período. Além disso, vinte datas serão repassadas mensalmente para ocupação desses espaços à Fundação Gregório de Mattos, que manifestou desejo de realizar programação no Centro Histórico de Salvador. “Vamos conciliar a grade dos ensaios de verão, a exemplo do Olodum – que se apresentou 120 vezes nesta gestão – Jauperi, Afro Bata, Cortejo Afro, entre muitos outros que são a prata da casa, com as novas produções selecionadas por meio do edital. Esperamos com isso fidelizar o público que encontra no Centro Histórico de Salvador uma opção de lazer”, finaliza a diretora Ivanna Soutto.

Pelourinho Cultural registra público de mais de 1 milhão de pessoas

Em dois anos, programa mudou o perfil da programação cultural do Pelô, contando com apresentações de mais de 700 artistas locais, nacionais e internacionais

O guitarrista Stanley Jordan, a banda de rock norte americana “Mudhoney”, o reggae man Sheik Lô, e o grupo de percussão “The Stomps”. Beth Carvalho, Martinho da Vila, Alceu Valença, Céu, Cordel do Fogo Encantado, Marcelo D2, Mariana Aydar e Malu Magalhães. Orquestra Rumpillez, Mariene de Castro, Juliana Ribeiro, Retrofoguetes,  e Peu Meurray. Além do Olodum, Jauperi, Afro Batá, Cortejo Afro, Nova Saga e Muzenza. Esses são alguns dos mais de 700 artistas locais, nacionais e internacionais que passaram pela programação do Pelourinho Cultural (SECULT/IPAC) nos últimos dois anos.

Criado em 2007, sob a coordenação de Ivanna Soutto, o Pelourinho Cultural vem apostando numa programação de qualidade artística que tem atraído milhares de pessoas ao Largo do Pelourinho, Terreiro de Jesus e Largo de São Francisco, além dos largos internos, como o Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D´Água, com programação eventual também no Largo do Santo Antônio, Jubiabá e das Artes. Até agosto de 2009, foram mais de 1700 apresentações, que levaram um público estimado em mais de 1 milhão de pessoas ao Centro Histórico de Salvador.

Além de festas tradicionais como o Carnaval, o São João e Santa Bárbara, o Pelourinho Cultural promoveu e apoiou festivais de música, dança e teatro, feiras de antiguidades, artesanato e moda, com uma programação voltada para públicos diversos, incluindo as crianças, com atividades diurnas e educativas. Um dos projetos mais festejados pela coordenadora é o Pelourinho Digital, realizado em parceria com a Oi Kabum! e a Cipó Interativa, com a formação de 30 jovens do Centro Histórico de Salvador, lançamento do site e da revista “Olha aí o Pelô”.

“As mudanças empreendidas pela Secult permitiram que os moradores locais passassem a ser mais respeitados e ouvidos, trazendo-os à participação efetiva, nas festas e grades de eventos, possibilitando melhoria da qualidade artística das atrações e multiplicando os perfis e estilos para atender a diversidade de interesses da população baiana e turistas, conectando o Pelourinho com a produção atual”, destaca a produtora cultural Ivanna Soutto, que coordena, atualmente, uma equipe de 52 pessoas, que pode chegar até a 200 em eventos de grande porte como o Carnaval e o São João.

Apenas em 2008, foram mais de 30 eventos e projetos culturais por mês, além dos projetos especiais, sendo investidos cerca de R$5 milhões, com a participação de artistas convidados e escolha de atrações através de curadorias e parcerias com produtores locais. Dentre essas atrações destacam-se grandes eventos como o festival de cultura popular Passarela da Alegria Pernambuco-Bahia, Tudo é Percussão,em sua segunda edição, PercPan, Festival Internacional de Artes Cênicas (FIAC), Sesi Bonecos do Brasil e do Mundo, ‘BoomBahia’, Música em Todos os Ouvidos, ‘Dia do Samba’, entre outros.

Para Ivanna Soutto, o fortalecimento da programação com projetos de outras unidades da SECULT, a exemplo do “Se é bom a gente toca” (Irdeb), “Pinte no Pelô” (MAM/IPAC), “Jornada Literária” (FPC), “Tem Teatro no Pelô” e “Quinta em Movimento” (Funceb), realizados de setembro de 2008 a janeiro de 2009, e a utilização de editais para seleção de projetos que vão integrar o calendário de atrações do Pelô marcam mais uma mudança importante no modelo de apoio a ações culturais no Pelourinho e Centro Histórico.

“Em 2008, começamos a atuar de forma mais articulada na região, com projetos que visam fidelizar o público e manter uma programação cultural contínua nos largos do Pelô. Agora, vamos contar com a parceria dos produtores culturais que tiveram seus projetos selecionados via edital do Fundo de Cultura, o que deverá reforçar a presença do Pelourinho na vida cultural da cidade”, observa Soutto.

Em 2009, o investimento na programação cultural do Pelô deverá superar a casa dos R$6 milhões. “A diferença é que estamos avançando um passo rumo a um modelo mais sustentável, em que o Estado além de produzir a programação, também fomenta a produção da sociedade no Centro Histórico de Salvador”, finaliza Ivanna Soutto, destacando o aporte de R$2,4 milhões do Fundo de Cultura, realizado através do edital Tô no Pelô.

Ações culturais integram Plano de Reabilitação

Além do programa Pelourinho Cultural, Secult aposta na dinamização de equipamentos culturais do Pelourinho, na requalificação da iluminação pública e na iluminação cênica de 23 monumentos do Centro Histórico de Salvador, entre outras ações emergenciais que integram o Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador.

A programação Tô no Pelô e o calendário de atrações do Pelourinho Cultural (SECULT/IPAC) integram o conjunto de ações que a Secretaria de Cultura do Estado desenvolve no Pelourinho e Centro Antigo de Salvador desde 2007. No mesmo período, foram reabertos o Museu Udo Knoff de Cerâmica e o Centro Cultural Solar Ferrão, com a inauguração da biblioteca Manuel Quirino e a dinamização das coleções Cláudio Marsella de Arte Africana e Lina Bo Bardi de Arte Popular. Esta última, um dos grandes legados deixados pela arquiteta italiana que reformou o Solar do Unhão e presenteou a cidade com o projeto do Museu de Arte Moderna da Bahia, estava trancafiada há mais de 40 anos.

Em menos de um ano, o Solar Ferrão mais que dobrou o número de visitantes, registrando 19 mil pessoas no primeiro semestre de 2009, contra 9 mil no mesmo período de 2008.

Além dos projetos de dinamização cultural, a Secretaria de Cultura do Estado investiu, através do Escritório de Referência do Centro Antigo de Salvador (ERCAS), R$1,2 milhão na requalificação da iluminação pública do Pelourinho e adjacências, com a compra e instalação de lampiões tipo Cascais, de estilo colonial e alta eficiência energética, trazendo mais segurança e conforto para moradores, visitantes e turistas. O projeto agora está sendo ampliado para o Santo Antônio Além do Carmo, totalizando R$1,5 milhão.

Está prevista também a iluminação cênica de 23 monumentos do Centro Histórico de Salvador, com projeto orçado em R$3 milhões e perspectiva de entrega dos monumentos do Terreiro de Jesus para dezembro de 2009.

Até 2010, serão entregues, ainda, seis monumentos, considerados ‘âncoras’ turísticas do CHS, completamente recuperados. As obras, executadas pelo IPAC, com recursos do programa Prodetur 2,  envolvem recursos da ordem de R$16 milhões. Na área de requalificação urbana e habitação social, estão previstas a urbanização da Vila Nova Esperança, ex-Rocinha do Pelourinho, com construção de 66 unidades habitacionais e equipamentos culturais comunitários, com recursos da ordem de R$7 milhões, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e a requalificação das principais vias de acesso ao Centro Histórico, como a Baixa dos Sapateiros, o Taboão, o Pilar e a Rua Ruy Barbosa, com recursos da ordem de R$28 milhões, garantidos pelo Ministério do Turismo.

Todos esses projetos integram as ações emergenciais do Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador, que está sendo elaborado com a participação da sociedade, através de convênios firmados entre o governo do Estado, o Ministério das Cidades e a UNESCO, sob coordenação do Escritório de Referência do Centro Antigo de Salvador. Com investimento de R$2,5 milhões para sua elaboração, o Plano será publicado no próximo mês de outubro, apresentando um modelo de governança e um programa de investimentos para a região do Centro Antigo, onde estão situados o Pelourinho e Centro Histórico de Salvador.

Anúncios

Os comentários estão desativados.