Exposições fotográficas comemoram Mês da Dança na Bahia

Em ação integrada entre as diretorias de Dança, Artes Visuais e Espaços Culturais, a Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB, unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia – SecultBA, realiza circuito de exposições com as mostras fotográficas Uma Carta Coreográfica, Yanka Rudzka e Ninho Reis. As mostras agregam as artes visuais com a temática da dança e se instalam em centros de cultura administrados pela FUNCEB em três cidades do interior baiano: Valença, Itabuna e Mutuípe, respectivamente. A iniciativa faz parte da programação comemorativa do Mês da Dança, em razão do Dia Internacional da Dança (29 de abril), e segue até o mês de maio. O acesso é gratuito.

“Esta é uma maneira diferente de entender a dança, com objetivo de incluir não apenas os agentes artísticos diretamente implicados na área, mas também outras camadas da população, neste grande exercício estético”, analisa Alexandre Molina, diretor de Dança da FUNCEB.

Uma Carta Coreográfica faz parte da Ação de Grande Envolvimento Nacional – AGEN, iniciativa do governo de Portugal. O acervo, composto por uma coleção de 40 painéis ilustrados que propõem reflexão sobre o tema “Movimento – Corpo – Dança”, foi doado à FUNCEB pelo Núcleo Viladança (Teatro Vila Velha), após exposição durante o Mês da Dança do Vila no ano passado. Na época, a abertura ocorreu simultaneamente em 200 municípios portugueses e na capital baiana. Agora, a mostra está em cartaz no Centro de Cultura Olívia Barradas (Valença-BA), permanecendo até 16 de maio.

Como parte das ações da FUNCEB de registro e memória da dança na Bahia, dentro do programa Memórias Dançantes, as exposições Yanka Rudzka e Ninho Reis relembram a vida e a obra desses dois importantes nomes que marcaram a história da dança no Estado. As duas exposições já estiveram, entre 2007 e 2008, em Salvador (Espaço Xisto e Escola de Dança da UFBA), Valença (Centro de Cultura Olívia Barradas) e Jequié (Centro de Cultura Antônio Carlos Magalhães). Desta vez, a mostra Yanka Rudzka se instala no Centro de Cultura Adonias Filho (Itabuna-BA), até 16 de maio, e a Ninho Reis tem abertura na próxima sexta-feira, 23 de abril, no Centro de Cultura de Mutuípe (Mutuípe-BA), onde fica até 23 de maio.

Yanka Rudzka, bailarina polonesa ícone da dança moderna, veio para a Bahia na década de 1950, a convite da Universidade Federal da Bahia, e se tornou a primeira diretora da Escola de Dança da UFBA. Seu nome batiza, desde 2007, o edital da FUNCEB de Montagem de Espetáculos de Dança no Estado da Bahia, que já contemplou 24 propostas de novas montagens nesses últimos três anos. A curadora da exposição, a coreógrafa e professora Lia Robatto, discípula de Yanka, além de escolher as imagens, realizou um trabalho de releitura das obras da mestra, em ação conjunta com a Fundação. “A criação da Escola de Dança com seus cursos de nível universitário, os primeiros do país, foi um marco importantíssimo para a história da dança cênica no Brasil. Yanka inaugurou na Bahia o caminho para o desenvolvimento da dança, que nasceu aqui sob o signo irreversível da modernidade. Detentora de uma visão cultural universal e contemporânea, Yanka soube considerar a realidade local, contribuindo na construção do que viria a ser a dança contemporânea brasileira”, resume Lia Robatto.

Já Ninho Reis é homenageado com uma exposição acerca da sua carreira artística: atuou em diversos grupos de dança como o Grupo Folclórico Viva Bahia, de Emília Biancardi, e o Balé Folclórico da Bahia – também desempenhando a função de codiretor. Montou o premiado grupo Frutos Tropicais, que, além de mesclar diversas vertentes da dança, tinha um elenco exclusivamente masculino. Ninho Reis intitula, desde 2007, o edital da FUNCEB de Circulação de Espetáculos de Dança no Estado da Bahia, que já premiou, nos últimos três anos, 23 espetáculos de dança em todo o Estado e mais três capitais do Nordeste. “Este baiano de Coaraci trabalhou como ator, dançarino, produtor e diretor artístico e exibiu seu talento no Brasil, Europa, Estados Unidos, Canadá, Colômbia e África. Participou de grupos folclóricos e blocos de carnaval. Seu grupo de dança, Frutos Tropicais, se propunha, a partir da criação coletiva, refletir a vivência cultural de cada um dos dançarinos, expressando a linguagem vigorosa do corpo masculino, no que hoje poderíamos chamar de uma dança de fusão”, conta Dilson Midlej, diretor de Artes Visuais da FUNCEB.

EXPOSIÇÕES FOTOGRÁFICAS DE DANÇA
1. Uma Carta Coreográfica
Centro de Cultura Olívia Barradas – Valença (BA)
Já em cartaz, até 16/05
2. Yanka Rudzka
Centro de Cultura Adonias Filho – Itabuna (BA)
Já em cartaz, até 16/05
3. Ninho Reis
Centro de Cultura de Mutuípe – Mutuípe (BA)
De 23/04 a 23/05
Quanto: Grátis
Realização: FUNCEB
Mais informações: 71 3116-6883 | funceb.danca@gmail.com

Anúncios

Os comentários estão desativados.