Livro Tributo Ao Cotidiano apresenta o mundo pela lente de Jamison Pedra

Lançamento da publicação acontece no próximo dia 29, às 19h, na livraria Saraiva do Shopping Iguatemi

Imagine baianas dançando na Festa do Rio Vermelho no 2 de fevereiro de 1973. Ou ainda a torcida de um time de futebol baiano no antigo estádio da Fonte Nova, em 1972, se debruçando no gradeado para não perder nenhum lance durante a partida. São imagens imortalizadas, ou melhor, clicadas pelo reconhecido artista plástico e fotógrafo baiano Jamison Pedra, 72 anos de vida, 30 dos quais dedicados à produção de fotografias. Parte dessa obra poderá agora ser contemplada no livro Tributo ao Cotidiano, contemplado pelo edital Fotografia Baiana – Apoio à publicação de Ensaios Fotográficos, da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb), unidade da Secretaria de Cultura da Bahia (SecultBA) via Fundo de Cultura. A obra reúne 67 imagens fotográficas em preto e branco clicadas entre fins dos anos 60 do século passado e 2006 na Bahia, outros Estados do País e metrópoles do mundo.

O lançamento de Tributo ao Cotidiano acontece dia 29 de janeiro, às 19h, na livraria Saraiva do Shopping Iguatemi quando o livro será distribuído ao público. Na ocasião o artista participa de um bate-papo com os apreciadores e curiosos de sua obra.

“A importância da fotografia é mostrar aquilo que os outros não viram. O tempo congelado. O fotógrafo é o comentarista do tempo”, reflete Jamison Pedra. “Nunca fui fotógrafo de estúdio. Sou fotógrafo de rua” – continua. Jamison nunca vai esquecer o dia em que, aos 15 anos de idade, deparou-se com um aparelho que mudaria sua forma de enxergar as coisas da vida. “Isso foi em 1968, quando eu ganhei essa máquina fotográfica e a identificação foi tamanha que improvisei um laboratório dentro de casa. Quando todo mundo ia dormir, eu colava papel preto nas janelas e iniciava a revelação”, conta ele.

Começava aí a trajetória do artista que passeou pela fotografia-arte e pelo foto-jornalismo, na década de 70 e em veículos como na revista Veja, jornal Opinião e a clássica revista Realidade, em cujas páginas foram reproduzidas fotografias que lhe renderam alguns prêmios.

Jamison Pedra nasceu em Valença, no Recôncavo Baiano, em 1938. Formou-se em arquitetura pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e, na Salvador dinâmica da década de 60, engajou-se nos movimentos de vanguarda locais. Concomitante ao exercício da fotografia Jamison Pedra também desenvolveu a arte da pintura, o que lhe rendeu mais de 45 exposições individuais e coletivas de 1963 a 2002.

Após estudar três anos no Departamento de Design e Artes da Universidade de Cincinatti (EUA), Jamison Pedra recebeu título de Mestre em Artes Plásticas e lecionou Arte e Arquitetura nas escolas de Belas Artes e Arquitetura da UFBA, por onde se aposentou, depois de 25 anos de docência. O artista, que mantém um ateliê de produção na Pituba, vez por outra ainda sai com sua câmera fotográfica na intenção de registrar “momentos eternos” nas ruas de Salvador e do mundo.

Lançamento do livro Tributo ao Cotidiano, de Jamison Pedra. Fotografias.
Quando: Dia 29/01/2011, às 19h.
Onde: Livraria Saraiva (Shopping Iguatemi).
O livro será distribuído durante o lançamento.

Anúncios

Os comentários estão desativados.