Dança Afro em pauta no Cine-Teatro Lauro de Freitas

Mesa-redonda debate a história da dança afro, com homenagem a Mário Gusmão, e exposição relembra a trajetória de Ninho Reis

O Cine-Teatro Lauro de Freitas, espaço cultural administrado pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), promove mais atividades em celebração à dança neste mês em que se comemora o Dia Internacional da Dança (29 de abril). Na próxima terça-feira, 26 de abril, as atenções se voltam para a Dança Afro, estilo de genuína importância para a cultura baiana. Na programação, haverá uma mesa-redonda, às 19h30, com o tema “A Dança Afro na Bahia: dos anos 1970 aos dias de hoje”, fazendo uma homenagem ao ator, dançarino e coreógrafo Mário Gusmão. Em seguida, será aberta a exposição fotográfica Ninho Reis, que resgata, através de imagens, a trajetória do artista. A entrada é gratuita.

A pauta a ser discutida na mesa-redonda faz tributo especial a Mário Gusmão (1928-1996), que, na década de 1970, foi um dos responsáveis por elevar ao status de arte as expressões da Dança Afro, projetando-as Brasil afora. Nascido em Cachoeira (BA), Gusmão foi o primeiro negro a se formar pela Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia (UFBA), em 1960. Trabalhou nos palcos, na TV e no cinema, escrevendo uma história de dedicação à cultura baiana e ao movimento negro, estando envolvido com a fundação de grande parte dos blocos afros de Salvador.

Após o encerramento do debate, a exposição fotográfica Ninho Reis será aberta à visitação, ficando em cartaz até 20 de maio. Importante nome da Dança Afro na Bahia nos anos 1970 e 80, Ninho Reis (1951-1991), natural do Coaraci (BA), trabalhou como ator, dançarino, produtor e diretor artístico e exibiu seu talento no Brasil, Europa, Estados Unidos, Canadá, Colômbia e África. Atuou em diversas companhias de dança, como o Grupo Folclórico Viva Bahia, de Emília Biancardi, Grupo de Dança Orixás da Bahia e Balé Folclórico da Bahia – também desempenhando a função de codiretor. Montou, juntamente com os bailarinos Antônio Alcântara e Rogério Eduardo, o premiado grupo Frutos Tropicais, que, além de mesclar diversas vertentes da dança, tinha um elenco exclusivamente masculino. Ninho Reis intitula, desde 2007, o edital da FUNCEB de Circulação de Espetáculos de Dança no Estado da Bahia, que já premiou, desde então, 27 espetáculos de dança.

SERVIÇO
O quê: Mesa-redonda “A Dança Afro na Bahia: dos anos 1970 aos dias de hoje” – homenagem a Mário Gusmão; abertura da exposição fotográfica Ninho Reis.
Onde: Cine-Teatro Lauro de Freitas (Praça da Matriz, Centro – Lauro de Freitas/BA).
Quando: 26 de abril (terça-feira), 19h30 (Exposição segue em cartaz até 20 de maio).
Quanto: Grátis

Anúncios

Os comentários estão desativados.