Anunciado vencedor do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2010/2011

O mineiro Pedro David, com o projeto “O Jardim”, é premiado na quarta edição do certame da FUNCEB/SecultBA

Foi divulgado o nome do vencedor da quarta edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger, um dos dois maiores concursos, em termos financeiros, para trabalhos fotográficos do Brasil. Pedro David, natural de Santos Dumont (MG), que apresentou o projeto O Jardim, foi o indicado pela comissão de seleção, formada por José Carlos Mamede, Leonardo Costa Braga e Sérgio Burgi. O certame, promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), objetiva incentivar, divulgar e valorizar a produção fotográfica brasileira.

A premiação é dada a um conjunto de trabalhos de temática e técnica livres, de um fotógrafo residente no país. Além de condecoração no valor de R$ 30 mil, o selecionado recebe apoio financeiro para a realização de uma exposição individual em Salvador e para a publicação de um catálogo com o ensaio, num investimento total de R$ 60 mil concedidos pela FUNCEB/SecultBA.

Foram inscritas 109 propostas, sendo 37 da Região Metropolitana de Salvador, sete do interior da Bahia e 65 de outros estados, como Amazonas, Mato Grosso, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. A qualidade dos projetos apresentados foi notória a ponto de a comissão de seleção prezar em registrar que “os trabalhos de João Castilho, Guilherme Cunha, Álvaro Villela e Walter Firmo foram igualmente considerados de excelente qualidade, sendo também trabalhos potencialmente merecedores de prêmio”.

O projeto selecionado, O Jardim, procura “entender a expansão da cidade (Belo Horizonte) para fora de seus limites, o embate ente seus habitantes com a natureza e as razões que levam pessoas tão diferentes a procurar os mesmos pedaços de periferia”, segundo o próprio autor. A comissão de seleção considerou o trabalho de “excelente qualidade estética, transitando e refletindo sobre aspectos relevantes da linguagem fotográfica contemporânea, ao mesmo tempo em que dialoga com vertentes tradicionais da fotografia clássica e moderna”.

Em O Jardim, a fotografia, registrada em chapas de 4×5 polegadas, é tratada de forma a agregar técnica, específica para fotografia em formato grande, hoje pouco explorada no universo digital, à abordagem de questões contemporâneas, como a expansão civilizatória sobre os limites da natureza, a saturação das grandes cidades, a fuga para a periferia e a busca ontológica do homem por autoconhecimento, território e qualidade de vida.

Nascido em 1977, Pedro David é fotógrafo autônomo desde 1997, formado em jornalismo em 2001 pela PUC-Minas e cursou pós-graduação em artes plásticas e contemporaneidade na Escola Guignard – UEMG, em 2007. Desde 2008, ele mora na região periférica de Belo Horizonte, transitando entre os bairros Vale do Sol e Jardim Canadá, a 20 quilômetros do centro da cidade, e tenta estabelecer com estes bairros uma relação de pertencimento.

Artista promissor, Pedro já havia sido ganhador de outros importantes prêmios: União Latina – Martin Chambi de Fotografia (2010); Porto Seguro Brasil de Fotografia (2005); Prêmio Mostra Competitiva do 32º Festival de Inverno da UFMG; e menção honrosa no Prêmio Annual de Fotografia Urbanística, na Argentina (2000). Publicou, juntamente com os fotógrafos João Castilho e Pedro Motte, o livro Paisagem Submersa (editora Cosac Naify, 2008). Participa de coleções de arte privadas e públicas, dente elas Noordelicht Photography (Groningrn, Holanda, desde 2009); Museu de Arte de Santa Catarina (desde 2007); Photographer’s Network (Siegen, Alemanha, desde 2007); Coleção Ana Luisa e Mariano Marcondes Ferraz (Rio de Janeiro, desde 2006); Coleção Pirelli – MASP Fotografias (São Paulo, desde 2005); e Museu Histórico Abílio Barreo (Belo Horizonte, desde 1999). O fotógrafo ainda integrou o corpo de conselheiros regionais da Coleção Pirelli – MASP Fotografias para as aquisições da edição 2009. Em 2008, recebeu, através do 47º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, uma bolsa de residência artística para desenvolver o projeto Homem de Pedra. Desde 1999, também realizou exposições individuais em Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Montevidéu e Paris. Mais informações estão disponíveis no site www.pedrodavid.com.

Criado em 2002, o Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger é um concurso bianual. A quarta edição do edital foi realizada com revisões que lhe trouxeram aperfeiçoamentos. Dentre as novidades, não há mais a obrigatoriedade de a exposição ser feita na Galeria Pierre Verger, pertencente à FUNCEB, podendo o fotógrafo indicar o espaço expositivo de sua preferência, dentro da cidade de Salvador. Já os critérios de avaliação foram modificados, dando maior peso à qualidade artística da proposta.

MEMBROS DA COMISSÃO DE SELEÇÃO
José Carlos Mamede
Professor de Fotografia da Universidade Federal da Bahia (UFBA), desde 1994. Foi chefe do departamento de Comunicação da UFBA no biênio 2006-2008. Coordenou o Laboratório de Fotografia da Faculdade entre 1998-2001. Defendeu tese em fotografia no Mestrado de Comunicação e Cultura Contemporâneas, na UFBA, em 1997. É curador de exposições fotográficas e coordenador de cursos de extensão universitária em fotografia.

Leonardo Costa Braga
Brasiliense, vencedor da última edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger (2008/2009), vive atualmente em Caeté, Minas Gerais. De formação autodidata, desenvolve projetos com artes visuais para ampliar os conceitos e formas da inteligência na relação cotidiana do homem consigo mesmo e o ambiente. Realizou exposições individuais no Centro Cultural Elida Marquizo (Uruguai, 2011); Festival Internacional de Fotografia de Paraty (2010), Palácio Rio Branco (Salvador, 2010) e Centro Municipal de Fotografia de Montevidéu (2010). Ganhador do prêmio da Fundação Bienal de São Paulo, Brasil Arte Contemporânea (2010), Fundação Conrado Wessel, Brasil, Ensaio Selecionado (2009) e Walter Firmo, Brasil (Menção Honrosa, 2001), entre outros.

Sérgio Burgi
Coordena a área de fotografia e a Reserva Técnica Fotográfica do Instituto Moreira Salles (IMS), principal instituição voltada para a guarda e preservação de acervos fotográficos do Brasil. Paulistano, ingressou na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo em 1976 e na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, em 1978. Formou-se em Ciências Sociais pela USP em 1981 e ingressou, no mesmo ano, no curso de Mestrado em Conservação Fotográfica da School of Photografic Arts na Sciences, Rochester Institute of Technology, ambos com trabalhos específicos na área de conservação fotográfica. Foi Coordenador do Centro de Conservação e Preservação Fotográfica da Fundação Nacional da Arte, no Rio de Janeiro, entre 1984 e 1991. É membro do Grupo de Preservação Fotográfica do Comitê de Conservação do Conselho Internacional de Museus (ICOM), desde 1999.

PREMIADOS NAS EDIÇÕES ANTERIORES
Márcio Lima (2003/2004)
Com o tema Gente e Costumes da Bahia, o fotógrafo Márcio Lima, pernambucano radicado em Salvador/Bahia desde 1989, foi o vencedor da primeira edição do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger. Começou a fotografar no início dos anos 1980. Trabalhou na sucursal soteropolitana do jornal O Globo e colaborou para revistas da Editora Abril. Atua como fotógrafo independente, principalmente no campo editorial e institucional. Em 1996, integrou o programa de artista residente Light Work, promovido pela Universidade de Syracuse, em Nova Iorque, Estados Unidos. Ganhou também o Prêmio Aquisição no 12º Salão da Bahia, do Museu da Arte Moderna da Bahia, em 2004. Realizou diversas mostras coletivas e individuais em Salvador e em outras capitais do país.

Rodrigo Albert (2005/2006)
Mineiro e autodidata, foi assistente do fotógrafo Milton Campos. Recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2005/2006 com as séries Costumes e Ofícios, Gentes e Lugares e Mitos. Em 2006, seu ensaio Inserção, sobre a implantação do Método Carcerário da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, foi finalista do World Press Photo Joop Swart Masterclass, organizado pela World Press Foundation (Amsterdã). Participou de exposições coletivas em diversas cidades e países, em locais como o Museu de Arte de São Paulo (MASP), o Museu do Estado do Pará, o Museu de Arte Moderna e Arte Contemporânea (MAMAC), na Bélgica, e a Mostra Internacional Itinerante Venado Tuerto, na Argentina.

Leonardo Costa Braga (2008/2009)
Composta por duas séries – Homem e Árvore –, num total de 12 fotografias, o trabalho Homogenia, do fotógrafo Leonardo Costa Braga, foi o selecionado do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2008/2009. Leonardo é natural de Brasília e reside na cidade de Caeté, em Minas Gerais. Artista autodidata, morou em várias regiões do Brasil e do exterior, convivendo com situações de diversas realidades culturais e sociais. Portugal, Eslovênia, Alemanha, Espanha e Uruguai já apreciaram mostras do autor, que, no Brasil, já teve suas obras expostas no Museu de Arte Moderna de São Paulo, Museu Casa de Guignard, Museu de Arte Moderna da Bahia e Centro Cultural São Paulo. Participou de eventos como o Foto Arte Brasília, FotoRio, Festival Devercidade e Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre. Além do Prêmio Nacional de Fotografia Pierre Verger 2008/2009, recebeu o Prêmio da Fundação Conrado Wessel 2009; 1º lugar do Festival de Inverno de Bonito 2005; 2º lugar do Prêmio da Cidade de Santa Maria 2003; Menções Honrosas no Prêmio Walter Firmo 2001 e da Universidade Federal de Minas Gerais 1998. Ainda em 2010, participou do Festival Internacional de Fotografia de Paraty (RJ), realizou uma exposição individual no Centro Municipal de Fotografia de Montevidéu e ganhou o Prêmio Brasil Arte Contemporânea, dado pela 29ª Bienal de São Paulo.

VEJA AQUI O RESULTADO COM COMUNICADO OFICIAL DA COMISSÃO DE SELEÇÃO

Anúncios

Os comentários estão desativados.