FUNCEB ITINERANTE realizou debates relevantes nos seis macroterritórios baianos

Projeto reuniu sociedade civil e dirigentes da Fundação Cultural do Estado da Bahia em Alagoinhas, Senhor do Bonfim, Itaberaba, Barreiras, Vitória da Conquista e Ilhéus

Em 12 dias de viagem, entre 24 de agosto e 4 de setembro, cerca de 2.700 quilômetros percorridos, os dirigentes da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), visitaram os seis macroterritórios de identidade baianos, representados pelas cidades de Alagoinhas, Senhor do Bonfim, Itaberaba, Barreiras, Vitória da Conquista e Ilhéus. O projeto FUNCEB ITINERANTE promoveu Encontros Setoriais para discutir as políticas públicas para as artes – Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Cultura Digital, Dança, Literatura, Música e Teatro –, num diálogo direto entre poder público e sociedade civil.

A equipe que integrou o FUNCEB ITINERANTE foi formada pela diretora geral da FUNCEB, Nehle Franke, os coordenadores de linguagens artísticas da FUNCEB, das áreas de Artes Visuais, Audiovisual, Dança, Literatura, Música, Teatro e da assessoria de Artes Circenses, além de assessores técnicos e da Assessoria Especial para Juventude e Cultura Digital da SecultBA. Em articulação com representantes territoriais da SecultBA presentes em todo o estado e dirigentes locais, a atividade atraiu, no total, cerca de 330 pessoas, inclusive cidadãos do entorno das cidades visitadas.

Além de pautar as linguagens artísticas e as ações realizadas e planejadas pela FUNCEB, os encontros debateram políticas culturais como o Sistema Estadual de Cultura e o Plano Estadual de Cultura. A pretensão foi de estimular a organização dos setores artísticos, fomentar o debate, ouvir a sociedade em relação às demandas para as linguagens artísticas e promover a articulação com agentes, grupos e instituições culturais do interior da Bahia, mobilizando-os também para a participação nas Conferências Setoriais de Cultura, que serão realizadas pela FUNCEB e SecultBA, no dia 5 de novembro, em Salvador.

24 de agosto: FUNCEB ITINERANTE em Alagoinhas – Cerca de 60 pessoas, dentre artistas, produtores, líderes comunitários, professores da rede pública de ensino, pesquisadores e profissionais da Cultura, compareceram ao Encontro Setorial do FUNCEB ITINERANTE em Alagoinhas, em 24 de agosto, no Centro Cultural de Alagoinhas. Eram pessoas envolvidas com as artes em suas diversas linguagens, inclusive representantes da Casa dos Poetas de Alagoinhas, articuladores de ações culturais junto a comunidades quilombolas e o representante territorial da SecultBA, Adelson Fonseca. Além de cidadãos de Alagoinhas, havia pessoas vindas de cidades como Entre Rios, Pedrão, Valença, Cruz das Almas e Itapicuru.

Após a abertura, com falas de Nehle Franke, diretora da FUNCEB, e do secretário municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Luiz Ornelas da Silva, abriu-se espaço para que os dirigentes da FUNCEB/SecultBA se apresentassem e falassem de suas áreas de atuação.

O bate-papo então aberto tratou de questões como formação em artes, empregabilidade, editais de Cultura, leis de Cultura e programas de fomento. O debate teve como principal pauta, levantada pelo público, a contemplação do interior do estado nas políticas públicas para a Cultura, na representação nos mecanismos de apoio e em comissões de seleção. Os questionamentos e propostas apresentadas, tal como a criação de editais exclusivos para o interior, abrem possibilidades de soluções para o estabelecimento de uma gestão cultural ainda mais democrática.

No turno vespertino, foram explicitadas as atribuições, estruturas administrativas e principais projetos da FUNCEB e da SecultBA enquanto órgãos públicos. Depois, formaram-se grupos divididos pelas áreas de atuação, que se reuniram com os dirigentes das linguagens específicas, para uma conversa mais próxima acerca de suas particularidades. Cada coordenador pôde conhecer as demandas e discutir sugestões com aqueles que atuam na produção cultural de Alagoinhas e região.

26 de agosto: FUNCEB ITINERANTE em Senhor do Bonfim – Após as falas do vice-prefeito da cidade, Dr. Aurélio Soares, de representante do Conselho de Cultura do município, José Gonçalves, da diretora geral da FUNCEB, Nehle Franke, e da secretária municipal de Cultura, Riana de Oliveira, o encontro em Senhor do Bonfim foi iniciado com apresentação do sanfoneiro Tião da Silva – do Trio Raiz do Forró, da Rede Baião de Bonfim –, acompanhada de intervenção do cordelista Zumar, ambos artistas da cultura popular bonfinense.

O evento reuniu cerca de 80 pessoas na Escola Estadual Senhor do Bonfim, em 26 de agosto. Havia pessoas de diversas cidades, tais como Juazeiro e Andorinha, inclusive a prefeita de Campo Formoso, Iracy Araújo, o representante do Consórcio Público do Território, Ion Fontes, e o articulador do Território do Piemonte Norte do Itapicuru, Álvaro Luis.

O debate trouxe temas como implantação do Sistema Estadual de Cultura, criação de uma associação dos artistas regionais, simplificação de editais, acessibilidade aos mecanismos de apoio – como incluir, por exemplo, artistas não-afalbetizados neste processo – e iniciativas como o Edital de Apoio a Microprojetos. Foi explicitado que a revisão destes instrumentos já foi iniciada, a exemplo da edição 2011 do edital Quarta que Dança, em que os proponentes não mais precisaram apresentar documentações, além do projeto em si, para fazer inscrição. A demanda por formação técnica foi também frequentemente apontada e a importância da participação da sociedade civil em conferências, na formulação de leis, na estruturação de projetos e no estabelecimento de uma política pública de Estado foi bastante destacada.

No turno vespertino, após a reunião de grupos divididos pelas áreas de atuação, numa conversa mais próxima das especificidades de cada linguagem artística, o encontro foi encerrado com apresentação do músico e cantor Marino Carvalho.

28 de agosto: FUNCEB ITINERANTE em Itaberaba – Chegando à cidade em 27 de agosto, os dirigentes da FUNCEB, nesta noite anterior ao encontro do FUNCEB ITINERANTE, foram assistir ao espetáculo do Circo Uga Uga, montado em Alto Vermelho, distrito de Itaberaba.

No dia seguinte, 28 de agosto, a Escola Modelo Luis Eduardo Magalhães sediou a reunião com cidadãos da região, com cerca de 20 pessoas. A fala de abertura foi da secretária de Cultura de Itaberaba, Dora Leão, que discorreu sobre a institucionalidade da Cultura, o Plano Municipal de Cultura, em construção, a importância de reconhecer a Cultura como um direito e o entendimento de que este se trata de um processo participativo. Em seguida, Nehle Franke, diretora da FUNCEB, reafirmou que as propostas para a Cultura devem ser compactuadas com a sociedade civil. Estava também presente o representante territorial da SecultBA Vinicius Galvão.

Os participantes se identificaram como atores que assumem as mais diversas tarefas – além de artistas, são arte-educadores, produtores, articuladores. Grupos artísticos se destacaram no debate: o Arte em Cena e o Grupo Teatral Raízes, com 25 anos de história, demonstraram intensa atuação na vida cultural da região. As demandas mais indicadas foram de estabelecimento de espaços culturais (não apenas para apresentações, mas também para rotinas de trabalho e ensaios), ressaltando que a revitalização e uso de locais já existentes é uma solução anterior à construção de centros, realização de projetos na cidade, revisão dos editais e formação em gestão de produção. Foi ainda destacada a forte tradição de manifestações populares, através do trabalho de artesãos e de chulas, bumba-meu-boi, reisados, contadores, baianas, especialmente presentes na zona rural e nas periferias.

No turno vespertino, Nehle Franke e dirigentes visitaram espaços culturais e públicos do município e foram ao encontro de grafiteiros, integrantes do movimento hip-hop, que estavam em ação na pintura de um muro.

30 de agosto: FUNCEB ITINERANTE em Barreiras – Em 30 de agosto, a equipe do FUNCEB ITINERANTE recebeu cerca de 80 pessoas no Centro Cultural Rivelino Silva de Carvalho, em Barreiras, para o debate do dia. Estavam presentes o subcoordenador de cultura do município, Martiniano Carvalho, membros da Secretaria de Cultura e Turismo da cidade de Luis Eduardo Magalhães (Célia Rodrigues Iores, diretora de Cultura e Turismo; Lidia Parcianelo, gerente de Cultura; Letícia Soeira Soliz, gerente de Turismo; e Kelly Macedo, coordenadora de Projetos e Bibliotecas), o representante territorial da SecultBA, Gelson Vieira, além de uma caravana de 20 pessoas vindas de Boritirama e outros cidadãos de origens diversas.

A questão mais pautada foi a de formação, tanto técnica quanto artística, inclusive de multiplicadores, professores e produtores. As falas indicaram a necessidade de construir, na região, um ambiente propício à produção cultural, com formação de plateia, estabelecimento de espaços e apoio das prefeituras municipais e do Governo do Estado. Ainda durante o evento, foram firmados acordos para o aproveitamento das sugestões dadas, na tentativa inicial de constituir uma rede de ações entre os artistas.

Após as reuniões setoriais do turno vespertino, com grupos divididos pelas áreas de atuação, os dirigentes da FUNCEB visitaram uma casa de artesãos, onde foram recebidos pelo Mestre Nego, artista regional que trabalha com esculturas em madeira, pedra, sementes, dentre outros materiais. Depois, estiveram no Museu Municipal Napoleão de Mattos Macedo e ainda foram ao Palácio das Artes, espaço expositivo no centro da cidade. A estrutura física do local demonstrou aptidão para receber exposições diversas, abrindo a possibilidade de incluir Barreiras na rota dos Salões Regionais de Artes Visuais da Bahia, projeto da FUNCEB/SecultBA, nos próximos anos. À noite, a equipe da FUNCEB ainda foi assistir ao espetáculo do Circo Shalon, cujos artistas participaram do encontro realizado durante o dia.

1º de setembro: FUNCEB ITINERANTE em Vitória da Conquista – Na manhã de 1º de setembro, o FUNCEB ITINERANTE reuniu cerca de 20 participantes no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista. Havia pessoas da própria cidade e outras vindas de municípios como Belo Campo e Cândido Sales, inclusive de sua zona rural. Estava também presente o coordenador de Cultura do município, João Omar, a representante territorial da SecultBA, Patrícia Nogueira, além de representantes dos coletivos Circuito Fora do Eixo e Mobiliza Cultura, o que trouxe o assunto de formação de redes produtivas para a roda: articulação de artistas e agentes culturais, trabalho em rede, interdisciplinaridade e conexões municipais e territoriais. As pautas se relacionaram mais destacadamente a políticas para teatro, música, audiovisual, inclusão sociodigital e locais disponíveis para uso cultural, em especial o próprio Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima, que é administrado pela SecultBA.

Após o encerramento do turno matutino, levando-se em conta a indicação de que alguns interessados não poderiam comparecer ao evento em horário comercial, a segunda etapa de trabalhos, que aconteceria à tarde, foi transferida para a noite. Assim, às 19 horas, um número maior de pessoas, cerca de 40, compareceu ao Teatro Municipal Carlos Jehovah, onde o bate-papo teve continuidade. Além de aprofundar as questões levantadas pela manhã, o debate tratou de editais – papel deles na política cultural, como torná-los mais acessíveis aos diversos públicos do interior da Bahia, possibilidade de participação de funcionários públicos do Estado, processos burocráticos, andamento dos pagamentos e investimento em digitalização –, de publicação de livros, capacitação de produtores e artes tradicionais, em contraponto ao que se chama de arte contemporânea. Foi ainda sugerida a criação de mais editais para projetos estruturantes, que apoiem, por exemplo, a manutenção de redes e carreiras, como o Edital de Apoio a Grupos Artísticos, lançado pela FUNCEB em 2010.

3 de setembro: FUNCEB ITINERANTE em Ilhéus – O último encontro da primeira edição do FUNCEB ITINERANTE aconteceu na cidade de Ilhéus, no Instituto Municipal de Ensino Eusínio Lavine, no dia 3 de setembro. A fala de abertura foi do assessor da Fundação Cultural de Ilhéus, Pawlo Cidade. Estavam também presentes a represente territorial da SecultBA, Raquel Galvão, e diversos membros do Conselho de Cultura do município, incluindo seu presidente. O evento reuniu cerca de 50 cidadãos de Ilhéus e vindos de cidades como Barro Preto, Itabuna, Itacaré, Itapé, Iuna e Teixeira de Freitas.

Os artistas e agentes culturais participantes representavam movimentos culturais de comunidades indígenas, cultura afro, patrimônio, filarmônicas, além de atuantes nas linguagens artísticas. Diversos grupos se fizeram presentes, como o Coletivo Prumo, Associação Cultural Amigos do Teatro de Itabuna (Acate), Companhia Casa Aberta de Teatro, Trupe Estripulia de Teatro, Teatro Popular de Ilhéus, Coletivo Chocolate Groove e Companhia de Teatro Temat.

No debate ocorrido no turno matutino, numa conversa de esclarecimento de dúvidas e proposição de soluções, foram discutidas questões referentes à Lei Orgânica da Cultura e à participação da sociedade civil em sua formulação, investimento em formação de produtores e conselheiros de Cultura, planos de gestão cultural, editais e mecanismos de apoio, ampliação do Calendário de Apoio da FUNCEB, territorialização, espaços culturais, diversificação e democratização da distribuição de recursos, dentre outros temas. Uma demanda apresentada foi a da chegada do Ouro Negro, programa desenvolvido pela SecultBA de apoio a blocos carnavalescos de matriz africana, visto que, conforme indicado, existem 13 entidades deste tipo no carnaval ilheense.

No turno vespertino, após a conversa em grupos de trabalho divididos por área de atuação, todos os presentes voltaram a se reunir para considerações finais, que renderam novas pautas e propostas, devidamente recolhidas para análise e composição dos planejamentos e ações futuras da FUNCEB. No encerramento das atividades, Pawlo Cidade afirmou: “Quanto mais a SecultBA sair do escritório, melhor será o funcionamento de seus projetos. A gente acredita nesta política, nesta mudança”.

Próximos passos – De volta a Salvador no domingo, 4 de setembro, os dirigentes da FUNCEB estão individualmente formalizando relatórios sobre as pautas e demandas de suas áreas, para uma primeira reunião de avaliação, a ser realizada na próxima quinta-feira, 8 de setembro. A partir destes novos suportes, será pensada a execução de ações que busquem dar retorno às demandas apresentadas e aos desafios revelados, para uma efetiva democratização e interiorização de apoio e da distribuição dos recursos públicos.

Anúncios

Os comentários estão desativados.