Encontros debatem o Fazer Poesia e Ficção na Bahia

Produção baiana em poesia e ficção é pautada numa troca de experiência entre gerações no mês em que se comemora o Dia do Escritor

Escritores de poesia e de ficção vão se encontrar para um bate-papo com o público na primeira edição do projeto Fazer Poesia e Ficção na Bahia, que promove uma discussão centrada na produção e na importância destes gêneros para a literatura baiana. Os debates, que têm entrada gratuita, acontecem no Cine-Teatro Solar Boa Vista (Engenho Velho de Brotas), em dois momentos: Fazer Poesia na Bahia, no dia 4 de julho (quarta-feira), às 15 horas, e Fazer Ficção na Bahia, em 17 de julho (terça-feira), às 18 horas. A iniciativa celebra o Dia Nacional do Escritor (25 de julho) e se dedica ao reconhecimento e valorização daqueles que criam escritos artísticos no estado.

A proposta é de reunir representantes destas áreas de gerações e atuações diversas, iniciantes e consagrados, para um olhar amplo sobre o que se faz em poesia e ficção, das páginas de livros aos blogs, trazendo também uma perspectiva histórica e contextual sobre as questões que se apresentam na atualidade. Temáticas, estéticas, formatos, mercado, consumo, experiências, possibilidades – as pautas se desenvolvem diante destes grandes universos criativos, para uma análise da atividade artística e do posicionamento destas produções na realidade cultural da Bahia.

Para o encontro Fazer Poesia na Bahia, os convidados são João Filho (poeta que se destacou e alcançou reconhecimento imediato da crítica, e que, mesmo tendo lançado livros, publica suas obras na internet), Lande M. Muzanzu ONAWALE (também historiador, educador e compositor, escreve poemas especialmente relacionados à cultura negra), Ruy Espinheira (poeta consagrado, com mais de 10 livros publicados) e Vladimir Queiroz (também engenheiro, e da nova geração de poetas publicados na Bahia), com mediação de Sandro Ornellas, professor do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, poeta, autor de artigos e ensaios sobre literatura moderna e contemporânea, especialmente poesia portuguesa e brasileira.

Já para o Fazer Ficção na Bahia, estarão presentes Állex Leilla (autora de romances, contos e novelas, doutora em Literatura, professora da Universidade Estadual de Feira de Santana, participa da antologia 25 Mulheres que Estão Fazendo a Nova Literatura Brasileira, publicada em 2004 pela Editora Record), Laura Castro (premiada com a bolsa Funarte de criação literária,  transformou textos publicados em blog no livro Cabidela: Bloco de Notas, lançado ano passado), Mariana Paiva (também jornalista e mestranda em Cultura e Sociedade, lançou seu primeiro livro, Barroca, de crônicas poéticas, em 2011) e Tom Correia (reconhecido ficcionista,  autor de livros como Sob um Céu de Gris Profundo, editado com apoio de edital da Fundação Pedro Calmon, vinculada à Secretaria de Cultura do Estado da Bahia), mediados por Luciene Azevedo, doutora em Literatura Comparada, professora do Instituto de Letras da Universidade Federal da Bahia, pesquisadora de prosa literária latino-americana a partir dos anos 1990.

Fazer Poesia e Ficção na Bahia
Fazer Poesia na Bahia: 4 de julho (quarta-feira), 15 horas
Fazer Ficção na Bahia: 17 de julho (terça-feira), 18 horas
Onde: Cine-Teatro Solar Boa Vista (Parque Solar Boa Vista, s/n, Engenho Velho de Brotas – Salvador/BA)
Entrada Franca
Realização: FUNCEB/ SecultBA

Anúncios

Os comentários estão desativados.