Quarta que Dança 2012 segue por mais 12 semanas

Após estreia em 20 de junho, projeto apresenta um panorama da produção contemporânea de Dança na Bahia em todas as quartas-feiras até 12 de setembro

A 14ª edição do Quarta que Dança, projeto promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA), foi oficialmente aberta na noite de 20 de junho, no Espaço Cultural Alagados, com a intervenção urbana Colapso, de Ariana Andrade, no entorno do local, seguida pelo espetáculo Xou, de Vanessa Mello, no palco do centro localizado no bairro do Uruguai. No mesmo dia, também houve a dança de rua Síntese, do Grupo de Performances Street Vibe, de Vitória da Conquista, no seu município de origem.

O evento em Salvador, que teve presença da diretora geral da FUNCEB, Nehle Franke, do diretor de Artes, Alexandre Molina, e do coordenador de Dança da instituição, Matias Santiago, foi prestigiado por um público que, depois de seguir os passos da intervenção urbana pelas ruas, lotou a sala principal do centro, em clima de comemoração. “É com muita alegria que o Espaço Cultural Alagados recebe o Quarta que Dança pela primeira vez. Esperamos 20 anos para ter o nosso centro em atividade plena. Em nome da Secretaria de Cultura, com a participação da FUNCEB, afirmo nosso empenho em democratizar o acesso à cultura para nossa comunidade e na Bahia”, falou Jamira Alves, coordenadora do espaço, após as apresentações. Depois, um coquetel, com música ao vivo de artistas da região, brindou a ocasião.

Reunindo sete espetáculos, duas intervenções urbanas, duas danças de rua e quatro trabalhos em processo de criação, o Quarta que Dança segue por mais 12 semanas, em todas as quartas-feiras, até 12 de setembro, em Salvador e mais oito cidades: Alagoinhas, Bom Jesus da Lapa, Itabuna, Itacaré, Poções, Santa Maria da Vitória, Senhor do Bonfim e Vitória da Conquista. Cada trabalho será encenado três vezes, em locais diferentes, contabilizando 45 sessões de uma mostra que representa um panorama contemporâneo da diversidade da produção em Dança na Bahia.

Na próxima data, 27 de junho, haverá mais uma oportunidade de conferir os trabalhos da estreia em Salvador: a intervenção urbana Colapso será encenada no entorno do Elevador Lacerda, ao meio-dia, numa performance gratuita, e o espetáculo Xou ocupa o palco da Sala do Coro de Teatro Castro Alves, às 20 horas, com ingressos a R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia). Além disso, o espetáculo Odete, Traga Meus Mortos, de Edu O. e Lucas Valentim, será apresentado na cidade de Santa Maria da Vitória, no oeste da Bahia, no Espaço Múltiplo Uso Enéas Carvalho, às 19h30, também ao valor de R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia).

SINOPSES E SERVIÇOS QUARTA QUE DANÇA 2012
Semana 2: 27 de junho (quarta-feira)
Realização: FUNCEB/ SecultBA

Colapso
Sinopse: A intervenção urbana Colapso, de Ariana Andrade, de Salvador, traz em sua pesquisa de corpo uma investigação sobre memórias e comportamentos femininos observados no cotidiano da capital baiana, juntamente com as inquietações que a pesquisadora e performer observa nos corpos urbanos das mulheres que nessa cidade habitam. Induzidas pelas sedutoras ofertas que a mídia oferece, as mulheres se tornam vítimas da ditadura da vaidade, problemáticas da psique feminina vão surgindo. A performance expressa isso através da arte do corpo, da imagem e da videoarte. A projeção é a extensão dos corpos que constroem diálogos e reflexões, junto ao turbilhão de acontecimentos que circundam a mulher no tempo atual, diversas, múltiplas, híbridas, marionetes do sistema consumista, mulheres guerreiras, rendeiras, rezadeiras, mulheres que amam, preservam, e outras que destroem e dispersam. Colapso surge num contexto diverso, as ruas da cidade de Salvador serviram de laboratório de corpo e coreografia, análises de comportamentos femininos transgressores, histéricos, exagerados, silenciosos e notáveis ganharam novas significações no corpo da performer, reconfigurando o ambiente e levando o público transeunte a questionamentos.
Onde: Entorno do Elevador Lacerda (Salvador)
Horário: 12h00
Quanto: Gratuito

Xou
Sinopse: O espetáculo Xou, de Vanessa Mello, de Salvador, cria um universo cor-de-rosa – estranhamente reconhecível – que mistura diversas referências e ícones pop, como Xuxa, programa de auditório e conto de fada, numa coreografia que, enquanto exorciza tudo isso, mergulha num vale de lágrimas! Catarse, criação e exorcização. Olha que tá na hora de mais uma fornada, quem não levar agora não leva mais. Tão gostosinho, gostosinho, gostosinho. Tá quentinho, tá quentinho, tá quentinho. O jovem ouviu o lamento da princesa e julgou ser um náufrago aflito, subiu o rochedo, mas não viu ninguém. Quanto mais perto chegava, no entanto, mais nitidamente ouvia uma lamúria. Sérgio Malandro ficou impressionado.
Onde: Sala do Coro do TCA (Salvador)
Horário: 20h00
Quanto: R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)

Odete, Traga Meus Mortos
Sinopse: “Os Outros: o melhor de mim sou Eles” – Manoel de Barros. Ao chegarmos a algum lugar, chegamos carregados de passado, de experiências vividas durante toda a vida e, até mais, trazemos nossos antepassados, histórias de família, de lugares, de sonhos… Nos pés ficam os calos e o pó da terra por onde caminhamos. Na mente ficam registradas as imagens, os odores, os sons, as histórias que encontramos em cada esquina, em cada rua, casa, monumento, pessoa. Somos feitos de encontros. A todo momento somos preenchidos de outros. Um outro que muitas vezes desconhecemos, mas que nos afeta e que nós afetamos também. Informações que vão sendo nosso corpo – na postura, no modo de andar, comer, falar, gesticular, enfim, no nosso modo de agir. O lugar do outro em nossas vidas, nossos mortos (pessoas e situações passadas) marcando nossos corpos, sendo-nos. Tudo reverberando em nós até mesmo quando a memória não está sendo atualizada.
Onde: Espaço Múltiplo Uso Enéas Carvalho (Santa Maria da Vitória)
Horário: 19h30
Quanto: R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)

Anúncios

Os comentários estão desativados.