Noite de encerramento do Quarta que Dança 2012

Espetáculos Instante Dilatado e Os Filhos dos Contos são apresentados em conjunto na última data da 14ª edição do projeto

Desde o último dia 20 de junho, num total de 13 semanas e 45 apresentações, todas as quartas-feiras vêm sendo de dança na Bahia, através do Quarta que Dança, projeto promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA). Agora, o encerramento desta 14ª edição, no dia 12 de setembro, faz uma sessão dupla especial com dois espetáculos em sequência: Instante Dilatado, da companhia João Perene Núcleo de Investigação Coreográfica, e Os Filhos dos Contos, de Verusya Correia, oriundo de Itacaré. A despedida da programação 2012 ocorre no Centro Cultural Plataforma, às 20 horas, com ingresso a R$ 2 (inteira), e celebra mais um ano de sucesso desta iniciativa de difusão da produção contemporânea da dança baiana.

Selecionados através de edital público, que contabilizou 91 propostas inscritas, os 15 trabalhos – sete espetáculos, duas intervenções urbanas, duas danças de rua e quatro trabalhos em processo de criação – que compuseram a programação do Quarta que Dança 2012 fizeram, cada um, três diferentes apresentações, ocupando diversos espaços de Salvador e outros oito municípios. Foi no ano passado que o projeto chegou pela primeira aos palcos do interior, o que veio a fortalecer o fomento à produção de dança nos diversos territórios baianos. Neste ano, Alagoinhas, Bom Jesus da Lapa, Itabuna, Itacaré, Poções, Santa Maria da Vitória, Senhor do Bonfim e Vitória da Conquista acolheram encenações, ampliando o número de cidades integradas.

O Quarta que Dança surgiu em 1998 e, ao longo destes anos, proporcionou a montagem de mais de 190 apresentações de variados grupos e propostas artísticas, consolidando-se como um dos principais mecanismos de promoção da dança da Bahia. Desde 2007, as inscrições para integrar o projeto passaram a ser feitas exclusivamente via edital, inicialmente em duas categorias – além dos tradicionais espetáculos de dança, deu-se espaço para os trabalhos em processo de criação, com objetivo de estimular o debate em torno dos processos construtivos. No ano seguinte, 2008, as outras duas categorias foram criadas: intervenção urbana e dança de rua, ampliando as possibilidades estéticas abrigadas e levando o Quarta que Dança também para o ambiente urbano.

QUARTA QUE DANÇA 2012
Semana 13: 12 de setembro (quarta-feira)
Onde: Centro Cultural Plataforma (Salvador)
Horário: 20 horas
Quanto: R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
Blog: www.fundacaocultural.ba.gov.br/quartaquedanca2012
Realização: FUNCEB/ SecultBA

Instante Dilatado
Espetáculo de João Perene Núcleo de Investigação Coreográfica
Origem: Salvador
Sinopse: Inspirado no conceito de que o tempo não passa de uma sequência descontínua de instantes sempre novos, sem relação uns com os outros, do filósofo Gaston Bachelard, e nas teorias “líquidas” do sociólogo Zigmunt Bauman, que pontua relações que escorrem sem muitos obstáculos, Instante Dilatado é uma metáfora sobre o tempo; é um espetáculo que versa sobre a velocidade. Uma proposta onde as leis do tempo como conhecemos deixam de valer. Em cena, cinco bailarinos, de maneira autônoma e inexplicável, descobrem uma forma de abrir uma cisão no tempo/espaço, resgatando e dilatando por breve período um fragmento relevante de suas vidas – fazendo vir à tona para a plateia o instante poético de cada um. Este será revivido de maneira intensa e profunda ate não mais poder, afinal esta oportunidade não se estenderá por muito tempo, mas o que restará é a sensação de êxtase por ter vivido esta experiência tão singular. Na coreografia, elementos gestualisticos, aliados a uma qualidade de movimentação minuciosa, assumem um caráter matemático para sua composição.

Os Filhos dos Contos
Espetáculo de Verusya Correia
Origem: Itacaré
Sinopse: “Fazer com que o jogo volte à sua vocação puramente profana é uma tarefa política” – AGAMBEN, G. O samba começa cedo, bebe-se à vontade. Quem é o bicho, hoje? Quem é o caçador? O Bicho Caçador percorre as ruas de Itacaré; o bater das palmas, os cantos e contos compõem a trilha, a meia lua se forma, as portas das casas se abrem para recebê-lo. Nesta rede de movimentos, cada cena trabalha zonas de tensão – entre público e privado, entre luminoso e opaco, entre espetacularização e resistência. Os Filhos dos Contos é um espetáculo realizado a partir da colaboração da coreógrafa Verusya Correia e integrantes da Associação Cultural Tribo do Porto e integrantes do grupo A-rrisca Cia. de Dança.

Anúncios

Os comentários estão desativados.