II Seminário Baiano de Crítica de Artes acontece nos dias 29 e 30 de outubro

FUNCEB dá continuidade ao Programa de Incentivo à Crítica de Artes, que também promoverá a Oficina de Qualificação em Crítica e o lançamento da Série Crítica das Artes

A Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Governo do Estado (SecultBA), dá início às ações que integram o segundo ano do Programa de Incentivo à Crítica de Artes. Nos próximos dias 29 e 30 de outubro, o II Seminário Baiano de Crítica de Artes vai reunir profissionais brasileiros reconhecidos no campo para discutir a crítica de artes, com a proposta de divulgar a importância e os aspectos desta produção, agregar profissionais e estimular o interesse de novos autores críticos. O Seminário acontece no Espaço Xisto Bahia (Barris – Salvador), sempre das 9 às 13 horas. A entrada é gratuita, aberta ao público até lotação da sala e os interessados em garantir vaga devem fazer pré-inscrição aqui. Para aqueles que não puderem se fazer presentes, os dois dias do evento terão transmissão ao vivo através do Portal do IRDEB (www.irdeb.ba.gov.br), com apoio da Diretoria de Audiovisual (DIMAS) da FUNCEB, permitindo também o acesso de pessoas do interior do estado e de todo o país.

Na segunda-feira (29 de outubro), o Seminário terá como convidadas a professora e crítica de dança Helena Katz (clique aqui para acessar o currículo) e a ensaísta, professora, pesquisadora e curadora Ivana Bentes (clique aqui para acessar o currículo). Elas vão tratar do tema “Máquina de pós-produção”, explorando de que maneira a produção cultural de massa gerada no século 20 se coloca como uma imensa biblioteca da qual todos podem fazer uso, resultando numa possível indiferenciação entre as figuras do criador e do espectador na arte. De que maneira a produção e o comentário cultural realizados são afetados nesse processo? Qual o destino de uma cultura, antes erudita, agora apta a ser reinterpretada com a expansão e a popularização das novas tecnologias? Há um novo lugar para o público e o artista?

Já na terça-feira (30 de outubro), estarão o jornalista, crítico musical e editor Carlos Calado (clique aqui para acessar o currículo) ao lado de Wagner Schwartz (clique aqui para acessar o currículo), performer, coreógrafo e linguista, para falar de “O negócio da cultura”, no entendimento de que a indústria da cultura se apresenta como qualquer outra: é necessário produzir, vender, comprar. Para isso há o marketing, o negócio e suas consequências. Essa indústria pode existir sem o comentário crítico? Ou ele é tão necessário que essa mesma indústria procura controlá-lo e moldá-lo, a fim de transformá-lo em um outro tipo de produto – que tem sua relevância determinada apenas pelo potencial e alcance de ser consumido?

Nas duas datas, a mediação será feita por Marcelo Rezende (clique aqui para acessar o currículo), jornalista, editor, crítico e curador. Trata-se, portanto, de um conjunto de cinco profissionais de vasta experiência, capaz de dialogar com o público sobre a situação da crítica, as suas questões históricas e contemporâneas, fundamentos, finalidades, mercados e espaços de difusão.

Além da realização do II Seminário Baiano de Crítica de Artes, o Programa de Incentivo à Crítica de Artes vai promover, ainda neste ano de 2012, a Oficina de Qualificação em Crítica, processo formativo destinado à qualificação na produção de críticas de artes e à sustentabilidade do setor, prevista a ser iniciada em 12 de novembro, sob coordenação do professor Luiz Cláudio Cajaíba (UFBA) e com presença do professor Luiz Fernando Ramos (USP). Além disso, fará o lançamento da Série Crítica das Artes, coleção de publicações com temáticas diversas dentro do universo da crítica de artes, no intuito de promover a difusão de conteúdo sobre o tema, resgatar produções de profissionais notórios no campo e divulgar novos trabalhos.

Sobre o Programa de Incentivo à Crítica de Artes – Lançado pelaFUNCEB/SecultBA em 2011, o Programa de Incentivo à Crítica de Artes se volta a esta produção artístico-intelectual, cuja tradição, atividade, empregabilidade e reconhecimento são ainda insuficientemente representativos na Bahia. Inserida na política de democratização do acesso à cultura e estímulo à formação artística dos criadores, técnicos, produtores e pesquisadores da área, a iniciativa objetiva promover a qualificação da crítica baiana e, com isso, contribuir para o desenvolvimento das artes produzidas no estado. Para tanto, foca na consolidação de um ambiente social propício ao acolhimento devido do setor cultural, investindo em ações estruturantes que envolvem formação, produção, criação e difusão do exercício da análise crítica nas áreas de Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música e Teatro.

No ano passado, o Programa realizou duas ações: o I Seminário Baiano de Crítica de Artes, que reuniu profissionais de grande experiência na área de crítica cultural e crítica específica nas linguagens artísticas – entre eles, José Miguel Wisnik, Antônio Marcos Pereira e Ruy Gardnier. Além do público que participou gratuitamente das atividades, o evento também teve transmissão online em tempo real pelo Portal do IRDEB. Mais de 8.700 visitas de internautas foram registradas, contabilizando um total de 30.589 visualizações de página. Os registros de áudio das palestras e debates do I Seminário Baiano de Crítica de Artes estão disponíveis para audição e download no hotsite www.fundacaocultural.ba.gov.br/criticadeartes.

A outra realização foi o Concurso Estadual de Estímulo à Crítica de Artes, que premiou 20 autores de críticas em Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música e Teatro, entre 43 concorrentes. O certame distribuiu mais de R$ 40 mil em premiações e os vencedores ainda terão seus textos publicados através da Série Crítica das Artes.

“O registro de números ainda pouco expressivos de críticas inscritas no Concurso de 2011 confirmou, de certa maneira, a necessidade de continuar investindo em ações de fortalecimento deste campo”, considera Alexandre Molina, diretor das Artes da FUNCEB, que complementa: “Os resultados puderam também colaborar para o aperfeiçoamento do Programa de Incentivo à Crítica de Artes e para a elaboração de projetos estruturantes a serem promovidos nesta área”. A reavaliação do Programa também se deu a partir de reuniões internas, consultas a estudiosos da área e de um encontro onde estiveram presentes representantes das Pós-Graduações em Artes (Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança, Literatura e Música) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Desta maneira, em 2012, a FUNCEB apresenta o Programa de Crítica de Artes reformulado e ampliado, trazendo ações que se fundamentam na reflexão, formação, qualificação e atração de novos interessados em atuar na área.

Anúncios

Os comentários estão desativados.