Música da Bahia representada na WOMEX 2012, na Grécia

FUNCEB/SecultBA demonstra investimento na internacionalização da produção musical baiana em mais uma ação do programa Bahia Music Export

Entre os últimos dias 17 e 21 de outubro, a Bahia esteve representada na 18ª edição da WOMEX – World Music Expo, uma das mais relevantes feiras de negócios e oportunidades do mercado da música internacional, realizada este ano na cidade de Thessaloniki, na Grécia. Através do Bahia Music Export – Programa de Apoio à Promoção Internacional da Música da Bahia, promovido pela Secretaria de Cultura do Governo do Estado da Bahia (SecultBA) e Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), o estado teve um stand montado no evento, onde a coletânea Bahia Music Export – Volume 3 foi lançada, apresentando a produtores, empresários e formadores de opinião de todo o mundo um panorama do cenário musical baiano contemporâneo.

“A importância da WOMEX para a música é comparada à do Festival de Cannes para o cinema”, avalia Cássio Nobre, coordenador de Música da FUNCEB, que conduziu a ação na feira. “Estive na WOMEX em 2010, na Dinamarca, participando como músico, quando do lançamento do primeiro volume da coletânea Bahia Music Export. Agora, com o lançamento do terceiro álbum desta série na WOMEX 2012, vejo nitidamente a consolidação da importância do programa Bahia Music Export em fomentar a inserção de artistas baianos no mercado internacional, de forma cada vez mais profissionalizada”, afirmou.

O CD Bahia Music Export – Volume 3 reúne 17 faixas e teve curadoria da inglesa Jody Gillett, jornalista, crítica de música, representante da Brasil, Música & Artes (BM&A) no Reino Unido e especialista em promoção da música brasileira no mercado europeu. Os artistas selecionados, da capital e do interior da Bahia, foram OQuadro, Lucas Santtana, Retrofoguetes, Luiz Brasil, Dão, Os Nelsons, BembaTrio, Soraia Drummond, Braunation, Luiz Natureza, Bule-Bule, Nana, Quixabeira de Lagoa da Camisa, Tiganá, Lourimbau, Samba Chula de São Braz e BaianaSystem. Estes dois últimos inclusive já se apresentaram em edições anteriores da WOMEX: o Samba Chula de São Braz, do distrito de São Braz, em Santo Amaro, fez show na WOMEX 2010 e, a partir disso, teve convites para tocar em Israel, Bélgica, Holanda, França e Inglaterra, entre 2011-2012; já o BaianaSystem, que esteve na WOMEX 2011, circulou em 2012 pela França e Rússia.

O novo álbum foi distribuído ao público da feira, que pôde assim conferir o trabalho de grupos e artistas dos mais diferentes estilos e gêneros musicais em destaque na Bahia atualmente. “Foram vários os elogios à coletânea, aos artistas participantes e também à iniciativa da Secretaria de Cultura da Bahia em promover a diversidade do setor da música baiana fora do Brasil. Já no primeiro dia da feira, fechamos uma parceria que deve levar dois artistas participantes da coletânea para shows na Inglaterra, em 2013”, antecipa Cássio Nobre.

A participação da FUNCEB/SecultBA na WOMEX 2012 contou com o apoio do programa Brasil Music Exchange, um projeto conduzido pela BM&A que procura estimular atividades e trocas de experiência no mercado musical, junto à Agência de Promoção de Exportação e Investimentos do Brasil (APEX). Além disso, houve parceria com o MobiArt (Bahia Music Industry Guide), uma iniciativa privada que teve apoio financeiro da SecultBA para criar um guia sobre a atual indústria musical da Bahia, compilado em um website (www.guiamobiart.com), em um aplicativo e em um pencard, com informações preciosas que trazem desde nomes de artistas, estúdios de gravação, selos, produtores, a casas de shows e festivais realizados no estado.

“Estivemos, então, bem servidos em se tratando de ferramentas para promover a música da Bahia. Distribuímos CDs para programadores de rádio e representantes de selos internacionais, ávidos por receber em mãos os novos lançamentos da Bahia; tivemos um pencard com todos os três volumes da coletânea Bahia Music Export (2010, 2011 e 2012), para os curadores de festivais; além do aplicativo e do website com as mais diversas informações do setor, para aqueles produtores e agentes que estão o tempo todo online, atentos às constantes transformações que vêm acontecendo no segmento da World Music, nos últimos anos. Estivemos ali, de perto, acompanhando este movimento”, conclui Cássio.

“Participar de um momento como este significa estar atento à  diversidade cultural da Bahia, além de contribuir para o reconhecimento e inserção no mercado internacional da música produzida aqui” afirma Monique Badaró, assessora de Relações Internacionais da SecultBA.

Sobre o Bahia Music Export – O Bahia Music Export faz parte de uma proposta maior da SecultBA, denominada Programa de Mobilidade Artística e Cultural, que objetiva contribuir para o desenvolvimento e a inserção nacional e internacional do setor cultural da Bahia, não só na música, mas nas diversas manifestações artístico-culturais. Para tanto, realiza ações como chamadas públicas e editais anuais, além de ações de promoção comercial, fortalecimento da cadeia produtiva, capacitação, pesquisa e promoção da mobilidade artística e cultural, como a participação de artistas em festivais e realização de turnês.

Somente em 2012, o Governo da Bahia reservou R$ 500 mil para a realização de novos projetos nesta área. Em julho deste ano, também aconteceu o Encounters, que apresenta o trabalho de artistas e produtores musicais locais para compradores de música e jornalistas do exterior, dando aos mesmos a oportunidade de iniciar um plano de carreira internacional.

Anúncios

Os comentários estão desativados.