Inscrições abertas para Oficina de Qualificação em Crítica

Através do Programa de Incentivo à Crítica de Artes, FUNCEB promove atividade formativa que busca contribuir para a sustentabilidade da crítica na Bahia

Após a realização do II Seminário Baiano de Crítica de Artes, nos últimos dias 29 e 30 de outubro, a Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), entidade vinculada à Secretaria de Cultura do Governo do Estado (SecultBA), abre inscrições para a Oficina de Qualificação em Crítica, que integra as ações do segundo ano do Programa de Incentivo à Crítica de Artes. A atividade se direciona a pessoas interessadas em desenvolver habilidades na produção da crítica, num processo formativo com coordenação pedagógica de Luiz Cláudio Cajaíba, da Universidade Federal da Bahia (UFBA), que se une como ministrante aos professores Cyntia Nogueira, da Universidade Federal do Recôncavo (UFRB), e Luiz Fernando Ramos, da Universidade de São Paulo (USP), e também o jornalista e crítico Marcelo Rezende. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 6 de novembro, no site www.fundacaocultural.ba.gov.br/criticadeartes. São disponibilizadas 30 vagas e, havendo número excedente de inscritos, será feita análise dos dados apresentados no formulário de inscrição para ocupação das mesmas.

A Oficina de Qualificação em Crítica se conduzirá em formato semipresencial, entre os dias 12 de novembro e 8 de dezembro, aliando encontros presenciais, que ocorrerão em Salvador (em locais a confirmar), com disponibilização de materiais online e indicação de atividades extraclasse. O curso é dividido em dois módulos: Módulo I – “Ensino Teórico e Prático de Análise e Produção de Crítica de Artes” e Módulo II – “Orientações para Criação e Desenvolvimento de Projetos Editoriais de Periódicos de Críticas de Artes”, que objetiva resultar em desdobramentos que contribuam para a sustentabilidade da crítica na Bahia. Os participantes receberão certificado mediante o cumprimento mínimo de 70% da carga horária total.

Neste ano, além desta Oficina, o Programa de Incentivo à Crítica de Artes já promoveu o II Seminário Baiano de Crítica de Artes, que reuniu profissionais brasileiros reconhecidos neste campo (Helena Katz, Ivana Bentes, Carlos Calado e Wagner Schwartz, sob mediação de Marcelo Rezende) diante de um público de cerca de 80 pessoas por dia, no Espaço Xisto Bahia, e tendo ainda transmissão ao vivo pelo Portal do IRDEB. Além disso, fará o lançamento da Série Crítica das Artes, coleção de publicações com temáticas diversas dentro do universo da crítica de artes, no intuito de promover a difusão de conteúdo sobre o tema, resgatar produções de profissionais notórios no campo e divulgar novos trabalhos.

Sobre o Programa de Incentivo à Crítica de Artes – Lançado pelaFUNCEB/SecultBA em 2011, o Programa de Incentivo à Crítica de Artes se volta a esta produção artístico-intelectual, cuja tradição, atividade, empregabilidade e reconhecimento são ainda insuficientemente representativos na Bahia. Inserida na política de democratização do acesso à cultura e estímulo à formação artística dos criadores, técnicos, produtores e pesquisadores da área, a iniciativa objetiva promover a qualificação da crítica baiana e, com isso, contribuir para o desenvolvimento das artes produzidas no estado. Para tanto, foca na consolidação de um ambiente social propício ao acolhimento devido do setor cultural, investindo em ações estruturantes que envolvem formação, produção, criação e difusão do exercício da análise crítica nas áreas de Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música e Teatro.

No ano passado, o Programa realizou duas ações: o I Seminário Baiano de Crítica de Artes, que reuniu profissionais de grande experiência na área de crítica cultural e crítica específica nas linguagens artísticas – entre eles, José Miguel Wisnik, Antônio Marcos Pereira e Ruy Gardnier. Além do público que participou gratuitamente das atividades, o evento também teve transmissão online em tempo real pelo Portal do IRDEB. Mais de 8.700 visitas de internautas foram registradas, contabilizando um total de 30.589 visualizações de página. Os registros de áudio das palestras e debates do I Seminário Baiano de Crítica de Artes estão disponíveis para audição e download no hotsite www.fundacaocultural.ba.gov.br/criticadeartes.

A outra realização foi o Concurso Estadual de Estímulo à Crítica de Artes, que premiou 20 autores de críticas em Artes Visuais, Audiovisual, Circo, Dança, Literatura, Música e Teatro, entre 43 concorrentes. O certame distribuiu mais de R$ 40 mil em premiações e os vencedores ainda terão seus textos publicados através da Série Crítica das Artes.

“O registro de números ainda pouco expressivos de críticas inscritas no Concurso de 2011 confirmou, de certa maneira, a necessidade de continuar investindo em ações de fortalecimento deste campo”, considera Alexandre Molina, diretor das Artes da FUNCEB, que complementa: “Os resultados puderam também colaborar para o aperfeiçoamento do Programa de Incentivo à Crítica de Artes e para a elaboração de projetos estruturantes a serem promovidos nesta área”. A reavaliação do Programa também se deu a partir de reuniões internas, consultas a estudiosos da área e de um encontro onde estiveram presentes representantes das Pós-Graduações em Artes (Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança, Literatura e Música) da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

Desta maneira, em 2012, a FUNCEB apresenta o Programa de Crítica de Artes reformulado e ampliado, trazendo ações que se fundamentam na reflexão, formação, qualificação e atração de novos interessados em atuar na área.

Os orientadores da Oficina de Qualificação em Crítica
Cyntia Nogueira (UFRB): Professora do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). Mestre em Comunicação, Imagem e Informação pela Universidade Federal Fluminense (2006). Graduada em Comunicação Social pela Universidade Federal da Bahia (1999). Coordenadora e Curadora do Cineclube Mário Gusmão. Editora da Revista Eletrônica CineCachoeira. Tem atuado principalmente com o tema história e crítica do cinema brasileiro. É pesquisadora do GAAP (Grupo de Ensino, Pesquisa e Extensão em Arte, Audiovisual e Patrimônio), cadastrado no CNPQ.

Luiz Cláudio Cajaíba (UFBA): É professor, vice-diretor da Escola de Teatro da UFBA e coordenador do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas PPGAC-UFBA. Coordena o projeto da área da Licenciatura em Teatro do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID-CAPES-UFBA (24 bolsistas) e o projeto de estudos artísticos do Programa de Licenciaturas internacionais – PLI (sete bolsistas), Grupo Coimbra, também da CAPES. Fez pós-doutorado pela FAPESB/PPGAC/UFBA, cujo projeto investigou os processos de recepção e crítica de espetáculos na cena contemporânea. É doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia e Universidade Livre de Berlim (2005). Tem mestrado em Comunicação e Cultura Contemporâneas pela Universidade Federal da Bahia (1997). É bacharel em Artes Cênicas – Interpretação Teatral pela Universidade Federal da Bahia (1992). Faz comentários semanais sobre teatro no programa Multicultura da Rádio Educadora da Bahia. Colabora com a organização do programa de palestras e discussões do Festival Internacional de Dança Contemporânea Brasileira em Berlim. Concentração nas seguintes áreas do conhecimento: artes cênicas, filosofia estética, teatro-educação e comunicação.

Luiz Fernando Ramos (USP): Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1980), graduação em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero (1980), mestrado em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (1989) e doutorado em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (1997). É professor do Departamento de Artes Cênicas da Universidade de São Paulo desde 1998, lecionando as disciplinas de Crítica e Teoria do Teatro. Pesquisador do CNPq, coordena o GIDE – Grupo de Investigação do Desempenho Espetacular; Coordenou o Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da USP entre 2006 e 2010. É encenador, dramaturgo, crítico de teatro e documentarista. Realizou pesquisas em torno da produção teatral de Gordon Craig, Samuel Beckett, Tadeusz Kantor, José Celso Martinez Corrêa e Martins Pena. Pesquisou também em torno dos conceitos de mimese, teatralidade e antiteatralidade, como operadores da cena contemporânea, incluindo nesse enfoque tanto a produção estritamente teatral como a dos campos das artes plásticas, da música e do cinema. Esta investigação desdobrou-se, desde 2009, no resgate da noção de espetáculo, depurada da minimização que lhe foi atribuída por leituras generalisantes de caráter sociológico e antropológico. Atualmente finaliza livro, a ser publicado em 2013, com o título provisório de “Mimesis espetacular: a margem de invenção possível”, e inicia nova pesquisa em torno do ideário estético de Gordon Craig, remetendo às suas bases filosóficas e implicando na tradução para o português de seus principais textos, bem como de peças e artigos de The Mask, jamais traduzidos. Foi presidente da Abrace – Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Artes Cênicas no biênio 2008-2010. É crítico de teatro da Folha de S.Paulo desde 2008.

Marcelo Rezende: Membro integrante do PEQUENO COMITÊ – agência de projetos e ideias. Publicou os livros “Ciência do Sonho – A Imaginação sem Fim do Diretor Michel Gondry”, “O Círculo” e “Comunismo da Forma”. Foi editor de conteúdo do Programa Cultura e Pensamento do Ministério da Cultura, criador do projeto editorial e editor-chefe da edição “Ocupação do Espaço”. Trabalhou como editor da “Revista Bravo” (2005/2007); diretor de redação da “Revista Cult” (2003/2005); correspondente internacional baseado em Paris da “Gazeta Mercantil” (1998/2002); repórter para os suplementos “Mais!” e “Ilustrada” da “Folha de São Paulo” (1993/1998); redator para o programa “CineMTV”, sobre cinema, da MTV (1992/19993). É graduado em Comunicação Social – Jornalismo pela PUC-SP (1986/1989) e Filosofia na Faculdade de Ciências Humanas da USP (1987/1993) e a formações em Collège De France – Rhétorique et Société en Europe – XVIe-XVIIe siécles e La Littérature européene entre Surhomme et Homme du Sous-Sol – 1890-1930, (2001/2002).

Oficina de Qualificação em Crítica
Inscrições: Até 6 de novembro, pelo site www.fundacaocultural.ba.gov.br/criticadeartes
Período do curso: 12 de novembro a 8 de dezembro de 2012
Quanto: Grátis
Aulas presenciais:
Local: A definir
= Módulo I – “Ensino Teórico e Prático de Análise e Produção de Crítica de Artes”
Luiz Cláudio Cajaíba – 16/11 e 17/11 (sexta e sábado), 14h00 às 18h00
Cyntia Nogueira – 23/11 (sexta), 18h00 às 21h00, e 24/11 (sábado), 14h00 às 19h00
Luiz Fernando Ramos – 30/11 e 1/12 (sexta e sábado), 14h00 às 18h00
= Módulo II – “Orientações para Criação e Desenvolvimento de Projetos Editoriais de Periódicos de Críticas de Artes”.
Com Marcelo Rezende – 7/12 e 8/12 (sexta e sábado), 14h00 às 18h00
Datas e horários sujeitos a alteração
Mais informações:
71 3324-8505 / critica.cultural@funceb.ba.gov.br
Realização: FUNCEB/ SecultBA

Anúncios

Os comentários estão desativados.