Remontagem de Sertania é atração no Domingo no TCA

Espetáculo criado por Lia Robatto na década de 1980 tem nova versão encenada pelos alunos da Escola de Dança da FUNCEB

Sertania

Trinta anos depois de montado pela primeira vez, o espetáculo Sertania, coreografado por Lia Robatto e que teve sua versão original dançada pelos bailarinos do Balé Teatro Castro Alves (BTCA), retorna aos palcos com nova interpretação, desta vez assumida por alunos da Escola de Dança da FUNCEB, com música ao vivo executada pela Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA). A grande estreia deste trabalho reinventado acontece dentro do projeto Domingo no TCA, no dia 16 de dezembro, às 11 horas da manhã, no palco principal do Teatro Castro Alves. Os ingressos custam R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia), e a censura é livre.

A remontagem é uma realização feita através do programa BTCA.Memória, do BTCA, cujo elenco colabora no processo de recriação do espetáculo, conduzido pela própria Lia Robatto. Desde o início de outubro, ela vem trabalhando com 25 jovens alunos da Escola de Dança da FUNCEB, que integra o Centro de Formação em Artes (CFA) da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), vinculada da Secretaria de Cultura do Estado (SecultBA), para recompor a coreografia.

Sertania é uma representação poética do imaginário simbólico da cultura dos Sertões, inspirada em sinfonia de Ernst Widmer e no cordel do século XIX Boi Misterioso, de Leandro Gomes de Barros, utilizando de metáforas da seca para apontar questões brasileiras, e da relação do vaqueiro com o boi como a busca por um mundo melhor. A partir do contexto sertanejo, o espetáculo ainda homenageia o centenário de nascimento de Luiz Gonzaga e apresenta a realidade de uma região que ocupa quase 80% da Bahia, o que se alinha às ações da SecultBA no intuito de dar visibilidade a este legado.

Neste retorno às salas de aula e de ensaio, Lia Robatto, que, também na década de 1980, implantou esta que é a primeira escola pública de Dança no país e que esteve presente na constituição do BTCA, o qual já dirigiu, proporciona aos dançarinos da Escola de Dança da FUNCEB a oportunidade de atuarem como intérpretes-criadores – uma prática que ela já exercia décadas atrás. “Essa coreografia foi criada há 30 anos, mas hoje posso identificar elementos e processos prospectivos que apontavam para o futuro. Na época, eu já trabalhava com a colaboração criativa dos bailarinos, o que soava estranho e gerava desconfiança. Hoje em dia não se concebe mais um trabalho de dança contemporânea onde não haja contribuição dos bailarinos chamados de intérpretes-autores. A Sertania de hoje não é a mesma obra, pois os bailarinos não são os mesmos da montagem original, com outra dinâmica e concepção de vida, e isso eu acho importante revelar, dando espaço ao elenco para se expressar”, resume Lia Robatto.

O projeto Domingo no TCA tem como objetivo proporcionar à população baiana amplo acesso a espetáculos de qualidade, abrindo as portas da sala principal do TCA para a comunidade ao preço de R$ 1,00 e exibindo apresentações das mais diversas linguagens artísticas. Além de contribuir para a acessibilidade e formação de plateia, o projeto visa a dinamizar a ocupação deste espaço, já tendo realizado mais de 50 sessões desde 2007, quando foi lançado.

Sobre o BTCA.Memória – Trata-se de um conjunto de ações que objetivam resgatar a memória e dinamizar a dança contemporânea na Bahia, resultado de um processo de discussão com os bailarinos da companhia e de sugestões que eles apresentaram. Iniciado em 2007 como parte dos projetos idealizados e executados pela nova gestão do BTCA, o programa vem realizando remontagens de espetáculos significativos da sua trajetória, em parceria com instituições de formação da área, fomentando o registro e a memória da Dança na Bahia. Com Sertania, pela terceira vez, Escola de Dança da FUNCEB e BTCA se unem numa realização inserida na iniciativa.

Sertania no Domingo no TCA
Remontagem estrelada por alunos da Escola de Dança da FUNCEB
Coreografia: Lia Robatto
Quando: 16 de dezembro (domingo), às 11 horas
Onde: Teatro Castro Alves (Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande. Salvador/BA)
Quanto: R$ 1,00 (inteira) e R$ 0,50 (meia)
Vendas no mesmo dia, a partir das 9 horas, com acesso imediato do público
Censura: Livre
Realização: Escola de Dança da FUNCEB/ CFA/ BTCA/ TCA/ FUNCEB/ SecultBA

Anúncios

Os comentários estão desativados.